O Cartório Carlos Ulysses

Em 1848, na Rua Duque de Caxias, antiga rua da baixa, no centro da na cidade da Parahiba do Norte, Freguesia de N.S. das Neves, República Federativa do Brasil, nascia um dos primeiros Cartórios da Paraíba, 1º Tabelionato de Notas e Registro Geral de Imóveis.Em seu acervo consta um livro do século passado de exercício de 1864 constando escrituras de libertação de escravos e  o livro n.º 1 de Notas, foi aberto em 30 de Abril de 1887, cujo termo de abertura foi assinado pelo escrevente Antônio da Silva Gouveia Filho, que à época o 1º Tabelião e Oficial do Registro foi o Sr. Jorge Cavalcante de Albuquerque Chaves.

 Em 19 de Novembro de 1906, o cartório passou a ser chamado de “Cartório Pedro Ulysses” (nome fantasia), a cargo do 2º titular do Cartório, no exercício de 1º Tabelião de Notas e Oficial de Registro de Imóveis, o Dr. Pedro Ulysses de Carvalho, em seu histórico o mesmo foi bacharel em direito, Interventor de Santa Rita, deputado estadual, por vários mandatos, presidente da Assembléia Legislativa da Parahiba, nome que figura até a presente data, na placa encravada no prédio da Assembléia Legislativa, desta capital, localizada na praça dos três poderes.

Em de 1941, com o falecimento do Dr. Pedro Ulysses de Carvalho, assumiu a titularidade do Cartório, com nova localização, na Rua Miguel Couto, n.º 54, Centro, na cidade de João Pessoa, capital do estado da Paraíba, antiga cidade da Parahiba do Norte, Freguesia de N.S. das Neves; o 3º titular da história do cartório o Dr. Rodrigo Ulysses de Carvalho, médico e filho do falecido Dr. Pedro Ulysses de Carvalho.

 Em Dezembro de 1954, por ato do então governador do Estado da Paraíba, José Américo de Almeida, surgiu à criação de um 2º Cartório de Registro de Imóveis, na capital de João Pessoa – Pb, sofrendo assim o Cartório Pedro Ulysses, a sua primeira divisão, de circunscrição imobiliária, que originou em duas zonas da capital, Zona Norte coube ao Cartório Eunápio Torres e Zona Sul, coube ao Cartório Pedro Ulysses, com início em sua linha divisória na ponte do Rio Sanhauá, subindo a Rua da República, pelo lado direito, D. Pedro II, continuando sempre pelo lado direito na linha da antiga estrada da Penha, até o limite do oceano Atlântico, com limítrofe na Praia da Penha do Rio do Cabelo e sempre pelo lado direito da área de Gramame, Conde, Jacumã,  Pitimbu, Acaú, até o limite do estado Paraíba e Pernambuco.

 Em Janeiro de 1957 o Cartório Pedro Ulysses, sofreu sua segunda divisão no registro de imóveis, com a criação da comarca de Cabedêlo-PB,  Km 0 da BR-230, início da Transamazônica, Estado da Paraíba, circunscrição imobiliária do Cartório Figueiredo Dornelas. No exercício de 1962, por ato então do governador do Estado da Paraíba, Dr. Pedro Moreno Gondim, exonerou do cargo de Tabelião e Oficial do Registro de Imóveis da Zona Sul o então titular Dr. Rodrigo Ulysses de Carvalho, para que o mesmo exercesse sua promissão de médico, na cidade do Rio de Janeiro- RJ, local onde fixou sua residência, assumindo então seu lugar o 4º titular do Cartório, o seu irmão Dr. Carlos Ulysses de Carvalho, bacharel em direito, para exercer o cargo de 1º Tabelião e Oficial do Registro de Imóveis da Zona Sul, desta capital. Na década de 1970, o Cartório Pedro Ulysses por alteração contratual mudou seu nome de fantasia para “Cartório Carlos Ulysses”, razão social – Cartório Primeiro Tabelionato, Registro Imóveis Zona Sul, bem como a mudança do seu novo endereço para a Rua Visconde de Pelotas, n.º 161, Centro, da Capital.

  Com o falecimento do Bel. Carlos Ulysses de Carvalho, ocorrido em 04 de novembro de 1980, por ato do então governador do estado da Paraíba, Dr. Tarcísio de Miranda Burity, tomou posse 5º titular, da história do Cartório Carlos Ulysses, em 18 de novembro de 1980, o Bel. Walter Ulysses de Carvalho, bacharel em direito, filho do então falecido tabelião e Oficial do Registro, tomou posse para exercer o cargo de 1º Tabelião e Oficial do Registro de Imóveis da Zona Sul.

  No exercício de 1985, por ato do então governador do Estado da Paraíba Wilson Leite Braga, passando a cidade de Alhandra – PB, a ser comarca, ocorrendo à época a terceira divisão de circunscrição imobiliária, do Cartório, passando as áreas pertencentes ao município de Conde-PB, até a divisa Paraíba e Pernambuco a circunscrição imobiliária da comarca de Alhandra (Cartório Velton Braga). No exercício de 2002 o Cartório mudou para seu novo endereço onde permanece até hoje, com localização na av. Presidente Epitácio Pessoa, nº 105, centro, da capital.